ANÁLISE MICROGENÉTICA EM PESQUISA COM ALUNOS SURDOS

MICROGENETIC ANALYSIS IN RESEARCH WITH DEAF STUDENTS

Celeste Azulay KELMAN; Angela Uchôa BRANCO

RESUMO: Utiliza-se uma perspectiva metodológica qualitativa, a análise microgenética, para pesquisar alunos surdos e seus processos de integração em classes regulares do ensino fundamental. O estudo é realizado em uma classe de integração de uma escola pública inclusiva em Brasília. Aborda as interações entre professoras-alunos surdos e entre alunos surdos e seus colegas ouvintes, analisando aspectos comunicativos e metacomunicativos observados nas interações sociais. A díade de professoras analisada nesse artigo foi escolhida dentre quatro díades (no total,  mais de cem horas de observação), pela riqueza de ações verbais e não verbais presentes no processo comunicativo. O estudo utiliza a análise microgenética no contexto da metodologia qualitativa por entender que esta análise, apesar de exigir um longo trabalho com o corpus de dados obtidos através de registro de observações, é a metodologia que melhor permite identificar e analisar o fenômeno das interações em sala de aula. A abordagem sociocultural construtivista, que destaca a importância da dimensão da cultura e do sujeito ativo no desenvolvimento humano, associada à análise microgenética consiste, assim, no modelo teórico-metodológico que fundamenta e orienta a definição dos recortes feitos na pesquisa, bem como a construção do dados. Ao identificar condições e estratégias que facilitam e/ou dificultam a integração entre os alunos e as possibilidades de sucesso das experiências de ensino-aprendizagem, o  estudo busca oferecer contribuições no sentido da promoção da inclusão, apesar das dificuldades inerentes ao processo de elucidação dos elementos importantes que facilitam uma verdadeira inclusão e integração dos alunos surdos nas classes regulares.

PALAVRAS-CHAVE: surdez; inclusão; comunicação; microgênese.

Fim do Texto

Clique aqui para voltar para a página anterior