FORMAÇÃO ACADÊMICA DO FISIOTERAPEUTA: A UTILIZAÇÃO DAS ATIVIDADES LÚDICAS NOS ATENDIMENTOS DE CRIANÇAS 

PROFESSIONAL TRAINING IN PHYSIOTHERAPY: THE USE OF PLAY ACTIVITIES IN THE TREATMENT OF CHILDREN

 Dirce Shizuko FUJISAWA[1]

Eduardo José MANZINI[2]

RESUMO: as atividades lúdicas ocorrem, com freqüência, nos atendimentos de crianças. A utilização das atividades lúdicas no atendimento de crianças, durante a formação acadêmica,  deve ter assegurada a finalidade terapêutica, visto que essa experiência influenciará na atuação do fisioterapeuta. Portanto, este estudo tem como objetivo descrever a utilização das atividades lúdicas na fisioterapia com crianças, realizado pelos estagiários durante a formação acadêmica. Em vista do objetivo proposto, foi realizado um estudo descritivo, denominado de estudo de caso. Participaram 6 (seis) acadêmicas, do quarto ano do curso de graduação em fisioterapia. A coleta de informações foi realizada por meio de observação sistemática, registrada pela filmagem. Os dados foram analisados por meio de três categorias: a manifestação das atividades lúdicas na fisioterapia; a atividade lúdica na fisioterapia e; comportamento da estagiária na atividade lúdica. Foram observados 186 e 158 atividades lúdicas, respectivamente, na primeira e na penúltima semana de estágio e, freqüentemente, eram adequadas à criança atendida. Vários tipos de jogos e brincadeiras foram observados nos atendimentos, que resultaram em determinados comportamentos da criança:  obtenção da resposta desejada; obtenção parcial da resposta desejada; não-alcance da resposta desejada e; impossibilidade de avaliar se a resposta obtida era desejada ou não. Os comportamentos das participantes eram  de preparação, orientação, incentivo, acompanhamento, facilitação e demonstração da atividade lúdica. Verificou-se que as atividades lúdicas são utilizadas pelas participantes como recurso terapêutico. Porém, há necessidade de  inclusão do tema jogos e brincadeiras nas disciplinas teóricas e discussão e orientação sistemática no estágio supervisionado.

PALAVRAS-CHAVE: fisioterapia; atividades lúdicas; observação; educação especial.


[1] Universidade Estadual de Londrina, Docente do Departamento de Fisioterapia, Doutorado em Educação – UNESP/Campus de Marília. e-mail: dirce07@sercomtel.com.br

[2] Docente do Departamento de Educação Especial e do Programa de Pós-graduação em Educação da Unesp, Marília. Líder do grupo de pesquisa Deficiências Físicas e Sensoriais – CNPq/97.

 

Fim do Texto

Clique aqui para voltar para a página anterior