Adolescentes com deficiência mental: teorias sexuais

Adolescents with mental deficiency: sexual theories

Cleonice Carolina Reche

RESUMO: Este estudo investigou os traços significativos da sexualidade de um grupo de adolescentes com deficiência mental e a relação que estes guardam com as características de um modelo de adolescentes considerados normais. Para tal, a pesquisa centrou-se nas teorias sexuais infantis. Segundo Freud, as teorias sexuais infantis são a imagem da própria constituição sexual da criança. Além de Freud, outros autores também abordaram este tema. Por isso, o estudo centrou-se na análise e interpretação psicanalítica de tais teorias, desde a classe de Freud à de Jung, passando por Klein, Rank, Ferenczi e a interpretação genética dada por Jastaidt. Os sujeitos desta pesquisa foram 17 adolescentes com deficiência mental média e leve (Qi 45-75), cuja idade variava entre 15 e 19 anos, que freqüentavam um Centro de Educação Especial de Barcelona. Os dados foram coletados em três momentos: 1 Negra; 2 e dos resultados obtidos evidenciou que as teorias segundo a Psicanálise, apresentam as crianças adolescentes com deficiência mental e as teorias sexuais infantis apontadas por Jastaidt, ainda que o paradigma de análise que apresenta a autora com relação ao estágio de desenvolvimento cognitivo e às teorias sexuais infantis não se comprovasse nesta investigação. Os resultados mostram, também, que não há correspondência entre a classificação do QI dos sujeitos e as teorias sexuais infantis verbalizadas por eles.

Fim do Texto

Clique aqui para voltar para a página anterior