A MEMÓRIA DE TRABALHO NO PARALISADO CEREBRAL: PROCEDIMENTO PARA AVALIAR HABILIDADE E PROCESSOS SUBJACENTES

Information processing in working memory de cerebral-palsied: primacy and recency effects and the nature de consolidation

Fernando César CAPOVILLA
Leila Regina d’Oliveira de Paula NUNES

RESUMO: A memória de trabalho é responsável por reter as informações durante o processamento necessário à resolução de problemas. Dois experimentos avaliaram o grau de desenvolvimento da memória de trabalho e a natureza do ensaio subjacente à consolidação de informação. Participou do estudo um paralisado cerebral espástico-atetóide não-vocal e não-alfabetizado de 15a3m de idade, e usuário de sistema de comunicação computadorizado havia dois anos. O Experimento 1 usou urna variante do procedimento de recordação livre, em que após ouvir cada série de palavras, o sujeito selecionava, via tela sensível no monitor de seu sistema, as figuras cujos nomes eram falados pelo examinador. Foi obtida uma curva de posição serial típica, com acerto superior nos tens iniciais (primazia) e finais (recência). O Experimento 2 analisou a natureza do ensaio, se aberto ou encoberto e se visual ou subvocal. O anteparo anulou a primazia e acentuou a recência; e na sua ausência, a primazia foi tão forte quanto a recência. A inabilidade em fazer ensaio encoberto (visou-espacial ou subvocal) confirma expectativas teóricas para não-alfabetizados, e coloca desafios para o educador.
PALAVRAS-CHAVE: Memória, paralisia cerebral; processamento de informação; comunicação alternativa; distúrbio de linguagem.

Fim do Texto

Clique aqui para voltar para a página anterior