UM ESTUDO SOBRE BARREIRAS ARQUITETÔNICAS NA F.C.T. DE PRESIDENTE PRUDENTE

A study about architectonic barriers at tecnology and sciende college

Paulo Roberto BRANCATTI

RESUMO: Nota-se, atualmente, na sociedade que as pessoas deficientes encontram dificuldades de acesso e locomoção em espaços urbanos, locais públicos e de edificações. A partir desta observação surgiu o interesse pelo tema proposto, e elaboramos o presente estudo por meio do qual constatamos que locais de freqüência pública como, anfiteatros, biblioteca, ginásio, salas de aulas, dentre outros, não oferecem acessibilidade para as pessoas deficientes. Este trabalho teve como objetivo identificar alguns pontos que caracterizam as barreiras arquitetônicas existentes na Faculdade de Ciências e Tecnologia/UNESP de Presidente Prudente, elementos que dificultam o acesso e a locomoção de pessoas deficientes em freqüentar estes locais, revelando de certa maneira o despreparo da Unidade em receber esta parcela da população. A pesquisa baseou-se no registro fotográfico dos ambientes que devem ser freqüentados pelos deficientes, e seus utilitários como biblioteca, anfiteatros, salas de aulas, piscina, ginásio esportivo, além de bebedouros, escadarias, banheiros e boa parte do prédio do discente III, local onde se concentram os cursos de Educação Física e Fisioterapia, cursos que atendem pessoas deficientes em projetos esportivos e ambulatoriais. As fotos, confrontadas com as normas da ABNT(1994) reclamam a falta de preocupação e de adequação às necessidades de uma parcela significativa de usuários dos serviços disponíveis. Sugerimos que a Universidade siga as normas estabelecidas garantindo o cumprimento de leis constitucionais a todo o ser humano e o direito de conviver com seu grupo social dignamente.

PALAVRAS CHAVE: Barreiras arquitetônicas, acessibilidade, deficiência e superação.

Fim do Texto

Clique aqui para voltar para a página anterior