REPRESENTAÇÕES MATERNAS ACERCA DO BEBÊ PORTADOR DE FISSURA LABIOPALATAL

MOTHER REPRESENTATIONS ON CLEFT LIP AND PALATE BABY

Isabella Monteiro de Castro SILVA
Elizabeth TUNES
Adriana de Rezende Dias

RESUMO: O presente estudo objetivou realizar levantamento de representações maternas acerca do bebê portador de fissura labiopalatal. Foram entrevistadas dez mães com idade média de 26 anos, cujos bebês apresentavam fissura labiopalatal. Após transcrição e análise das entrevistas, o seu conteúdo permitiu identificar uma dinâmica das percepções maternas acerca do problema do bebê. Nove das dez mães relataram dificuldades com amamentação nos primeiros dias após o nascimento. As representações, inicialmente carregadas de ansiedade e choque, passaram rapidamente para um estágio de busca de melhorias para, enfim, estabelecerem-se num estágio de serenidade frente à malformação. Esse período de mudança mostrou-se muito rápido, em comparação com casos de mães com bebês diagnosticados com deficiência mental ou outras malformações. A adaptação das mães à presença da fissura no filho estabilizou-se após a cirurgia, entre três meses – para a fissura labial – e um ano – para a fissura palatal.Não foi observado o uso de rótulos de deficiência nas falas das mães. O núcleo das representações centrou-se na questão estética: inicialmente a malformação, passando para preocupações com a qualidade da fala. Em ambos os casos, a cirurgia trouxe tranqüilidade às mães. Esses três fatores (ausência de rótulo, núcleo da representação e esperança com a cirurgia) parecem justificar a rapidez com que se deu a formação e estabilização das representações das mães entrevistadas. O estudo de representações acerca dos bebês fissurados mostrou-se útil na avaliação da dinâmica das percepções maternas.

PALAVRAS-CHAVE: Representação social; fissura labiopalatal; representação materna.

Fim do Texto

Clique aqui para voltar para a página anterior